Testo


Namo Kuan Shih Yin Pu Sa
Fatima dos Anjos - Portal Arco Íris


Bem Vindos

Bem Vindos ao Portal Arco Íris - Kuan Yin

sábado, 6 de maio de 2017

Chenrezig, o Buda da Compaixão, e as 6 Paramitas

Chenrezig, o Buda da Compaixão, e as 6 Paramitas
Chenrezig é uma deidade com um corpo branco e quatro, e as vezes mil, braços. Ele é uma deidade por quem os tibetanos tem uma devoção especial e cuja meditação é praticada também por muitos ocidentais.

Primeiramente, nós necessitamos compreender que Chenrezig é uma aparência, uma manifestação divina, tal como uma essência, uma realidade interna. A aparência de Chenrezig é o símbolo de sua essência manifestada. Com esta aparência nós podemos nos aproximar da essência amorosa e compassiva de Chenrezig.

Chenrezig está dentro de nós porque o amor e a compaixão não são qualidades adicionadas à mente. Estas qualidades são parte do estado desperto da mente, mesmo que no momento este estado exista somente como um potencial em nós.



Cada pessoa cujo coração é movido pelo amor e pela compaixão, que age profunda e sinceramente pelo benefício de todos, sem interesse para a fama, o lucro, a posição social ou reconhecimento, expressam a atividade de Chenrezig. (Mas até mesmo as pessoas que desejam ser assim, compassivas e amorosas, podem pedir auxilio a Chenrezig, mesmo que ainda sejam raivosas, inseguras, irritadiças e/ou melancólicas.)

O amor e a compaixão são os sinais verdadeiros que revelam a presença de Chenrezig. A mente amorosa de Chenreig pode atuar na forma de uma pessoa, um animal, uma planta, uma ideia, uma situação, uma intuição, uma inspiração. Sempre atuando na direção do amor e da compaixão.


A forma mais comum pela qual Chenrezig se manifesta é de um branco radiante, representando a pureza de intenções, a força da bondade amorosa, a compaixão e a mente iluminada. Pode ser visto sentado, tranquilo, com as pernas cruzadas, sobre uma flor de lótus. Geralmente há um disco de lua branco atrás de si, mas pode as vezes ser um arco-íris. Os quatro braços e mãos significam os quatro incomensuráveis: bondade amorosa, compaixão, alegria e serenidade. Duas de suas mãos permanecem juntas num gesto de oração na altura do chakra do coração, representando a harmonia com o aspecto amoroso, a compaixão por todos os seres. Em sua outra mão esquerda segura uma flor de lótus, representando o ensinamento dos budas. Na outra mão direita segura um japamala (rosário), representando a prática desse ensinamento, através da repetição do mantra OM MANI PEME HUM. Pode aparecer parcialmente coberto por um pele de antílope, representando a proteção que ele nos concede. Suas jóias representam a riqueza da alegria dos budas, que está sempre a nosso dispor. Sorri com compreensão, enquanto seus olhos tem sobre nós um olhar compassivo e amoroso, como uma mãe teria por seus filhos.



No budismo tibetano, a imagem de Chenrezig é visualizada em muitas meditações. É comum visualizá-lo sobre nós (sobre o chakra coronário) ou a nossa frente (em sintonia com nosso chakra do coração) durante alguns minutos. Num segundo estágio da meditação, Chenrezig é absorvido por nós (por nossos chakras) e assim sua morada passa a ser o nosso interior. Chenrezig somos nós, na nossa forma mais pura, mais amorosa, mais compassiva.

Nem sempre é necessário visualizá-lo ao recitar o mantra. Na maioria das tradições se reza para as divindades na esperança de receber bençãos que nos beneficiará de alguma forma. Entretanto, na tradição budista, as bênçãos do seres iluminados não são considerados vindos de uma fonte exterior, mas sim são inatas, são aspectos da nossa própria natureza verdadeira.

Este tipo de meditação (visualização e recitação do mantra) de Chenrezig vem sendo realizado por centenas de anos em vários lugares do mundo. Hoje, porém, devido a experiência vários mestres espirituais que orientam sobre os ensinamentos do nobre Buda, há uma maior compreensão que a recitação do mantra e visualização de Chenrezig, ou mesmo a recitação de sutras budistas, pode ser complementada com uma firme determinação de meditar sobre a bondade e a compaixão na vida diária, assim como cultivar as Seis Paramitas:

As 6 Paramitas:

1 - Generosidade

2 - Disciplina

3 - Paciência

4 - Empenho

5 - Meditação

6 - Sabedoria



As 6 Paramitas formam uma "carta de intenções", para que cada um viva o seu dia da forma mais respeitosa ao próximo possível. Não são mandamentos, ou seja, não há a preocupação em "fracassar" e ser "punido" por isso. Não há tal coisa no budismo, e muito menos em relação a Chenrezig, sempre amoroso e compassivo. As 6 Paramitas são diretrizes para um comportamento que nos dê uma vida saudável, para nós e todos ao nosso redor. São diretrizes que devemos cultivar.

Podemos também meditar sobre a importância de cada uma das Paramitas durante alguns minutos em nosso dia, abrindo e fechando essa meditação com a recitação do mantra OM MANI PEME HUM.

A medida que formos entrando em contato com Chenrezig em nosso interior, as 6 Paramitas vão se tornando mais fáceis, fluindo naturalmente em nosso dia a dia, minorando o sofrimento humano, manifestando nossa alegria e compaixão por todos os seres.

As 6 Paramitas formam um complemento à prática da recitação do mantra de Chenrezig, nosso ser interno amoroso e compassivo. Cada sílaba do mantra tem uma ligação energético-vibratória com uma Paramita. Assim:

OM - Generosidade

MA - Disciplina

NI - Paciência

PE - Empenho

ME - Meditação

HUM - Sabedoria



Chenrezig é amor em nós. E quando vivemos em amor, vivemos na Terra Pura do Nobre Buda. Namastê Shalom

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...